quarta-feira, 22 de junho de 2016

A confusão de Viver !

Sem mesmo ouvir sua voz
posso sentir a calma de tê-la dentro dos meus pensamentos
Sem mesmo ouvi-lá
sei que só ela me fará abrir os olhos mais uma ve

É como esperar o sol nascer depois de uma longa noite
e ter a certeza que não importa o que aconteça
O dia sempre nasce outra vez e nos dá mais uma chance
de tentar entender tudo ou pelo menos o que importa

Pode ser que faça frio e chuva
Pode ser que a ventania faça estragos
Mas pode ser que seja um dia de paz
Daqueles que te fazem sentir até o som da própria respiração

Esperamos a vida toda por dias assim
mas sabemos que em meio a tanta falta de paciência
Muitas vezes deixamos de ver a beleza de estar ao lado de alguém
que por algum motivo te escolheu no meio de toda essa confusão que é viver.


quinta-feira, 10 de março de 2016

Qualquer Azul, Qualquer Mar!

Como um dia qualquer
é a manhã que me traz de volta
dos meus anseios quase noturnos
de tantos medos inevitáveis.

E quantos enganos já cometi
ligações erradas, julgamentos precipitados
e de todas as vidas que já inventei
em todas elas te quis perto de mim.

Veja como o mundo está tão confuso agora
tanta vida lá fora e nos sentimos tão sós
sabemos tanto sobre tantas coisas
e às vezes tão pouco sobre nós.

Então não importa o lugar
qualquer azul, qualquer mar
me leve para longe dessas dores
e não me peça para voltar. 

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Prisão

Eu não sei você 
Mas eu estou em outro lugar
E ser o que faz alguém feliz
É absolutamente insano

Acredite em mim
Isso é como uma prisão perpétua
Não existe logica alguma no amor 
Raso ou profundo você acaba se afogando

Como todas as coisas deste mundo 
Não sabemos onde é o fim ou o começo 
Como o dia começa e termina quase sempre igual 
As semanas, os meses, os anos, a vida ! 

Vivemos em circulos infinitos 
Somos tolos por esperar encontrar algo diferente 
Somos tolos por esperar que a morte nos cure
da culpa das poucas vezes que quase soubemos de fato viver. 


quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A Fronteira

A fronteira

Como aquilo que divide
Que nos une
Como a fronteira entre dois mundos

Como o principio e o fim
Que te prende ou te liberta
Como o mar que separa a areia
que toca seus pés do horizonte infinito

Como a música e a melodia
Que juntas se transformam
Como tinha sobre a pele

Como o corpo e alma
Que se encontram em algum plano
Como a fronteira entre dois mundos
Que se confunde entre o sentir e o ser.